¿dequejeito?

Improvisando tudo até a última conta

Postado em 14 de janeiro de 2009

Estou seriamente pensando em largar o design. Trampo com essa porra desde 2002 e nos últimos tempos o nível da babaquice humana acerca a profissão só cresceu.

Exemplo: Quando eu ainda estava na faculdade fiz um freela pra uma empresa alimentícia, um logotipo. Morava com a minha mãe ainda, era gurizinho. Cobrei R$ 450,00 e me achei o máximo. Entreguei o logotipo e, desde então venho acompanhado o desenvolvimento da empresa, que cresceu pra cacete. Dia desses (leia-se 5 anos depois) entraram em contato comigo pedindo um novo logotipo, agora para um novo produto da marca. Fiz o orçamento com um preço justo, passei por e-mail e a resposta foi um:

Tu tá louco? não faz nem 5 anos tu cobrou 450 reais.

Tomando por exemplo o “My name is Earl”, entrei nesse lance de karma e comecei a ajudar todo mundo. Doar dinheiro, trabalhar de graça (dependendo da proposta do trabalho, claro), dar descontos imensos pra conhecidos e, desde então, as coisas só pioraram. Cada bondade que eu cometo só me faz perder dinheiro e eu não me retorna absolutamente nada em troca, a não ser várias contas.

Na base da indignação, peguei meu ukulele, apertei o [rec] e fiz uma canção de improviso.

Eu cansei de trabalhar de graça

Por fim, to pensando em mudar de área. Mas não pode ser pra uma que precise improvisar. Sou péssimo de improviso.

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.