¿dequejeito?

Finado Capanema

Postado em 9 de janeiro de 2009

Porra, essa parada que contei no último post me fez lembrar de uma história muito boa que o finado Thiago Capanema contou. Pra falar a verdade, nem sei se a história foi assim como contarei (as vezes eu pego o mote da coisa e mudo tudo na minha cabeça), mas contarei mesmo assim.

Certa vez o Thiago foi almoçar num desses restaurantes de comida a quilo. Aí ele tava servindo o seu prato na fila do buffet e, vocês sabem como é buffet, tem um balcão com as comidas embaixo e, acima, na altura da cabeça de quem está se servindo, existem os frascos com temperos, molhos e, as vezes, coisas absurdas.

Bom, nesse buffet em que o Thiago estava havia, nessa parte acima das comidas, um pote com pêssegos em calda. O Thiago pensou “E porque não?” e deu uma garfada em um dos malditos pêssegos que, subitamente, escapou do garfo e caiu na parte de baixo do balcão, dentro de um recipiente cheio de queijo ralado.

O Thiago, que é um garoto muito educado, garfou o pêssego que, neste momento, estava completamente envolto ao queijo ralado e o colocou em seu prato para, posteriormente, o jogar fora. Um senhor que estava atrás do Thiago na fila do buffet, olhou aquela cena intrigado e perguntou:

— Amiguinho, é bom isso?
— Oi? – indagou o jovem Thiago.
— É bom isso? Pêssego com queijo ralado.

Thiago Capanema, o capeta em forma de guri, não pensou duas vezes para dar sua resposta:

— Mas é claro. O senhor nunca provou?
— Não… Nunca provei. – respondeu o senhor.
— Pois não sabe o que está perdendo.

O Thiago continuou a servir seu almoço normalmente, não sem antes ver, de canto de olho, o senhor atrás dele mergulhando três pêssegos em calda dentro do queijo ralado.

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.