¿dequejeito?

Privado: Os feijões mágicos

Postado em 25 de abril de 2007

Quem acompanha este blog há mais tempo deve ter notado que neste mês de abril eu não tirei férias, como é comum fazer todos os anos. Não que eu não tenha tentado, mas quando fui à rodoviária comprar uma passagem para o Rio, o atendente me fez uma proposta irrecusável. Pelo mesmo preço da passagem para o Rio de Janeiro eu poderia levar para casa um pequeno saco de veludo, cheio de feijões mágicos. Não hesitei em comprar tais feijões e voltar correndo para casa, para plantá-los em meu quintal.

Certo dia, um mês depois do plantio, a campainha de minha casa toca. Abro a porta e me deparo com uma manifestação de feijões mágicos protestando contra o quadro do Mr. M no Fantástico. Alguns feijões, mais exaltados, tiravam coelhos de suas cartolas e os atiravam contra policiais que tentavam controlar a situação. Outros feijões, da ala pacifista, faziam truques com pombos e cartas. Mas as coisas não deram muito certo e a tropa de choque conseguiu controlar a manifestação.

Corri para a rodoviária e exigi uma explicação do atendente que me havia vendido os feijões mágicos. Ele me prometeu que nunca mais eu iria ser surpreendido por visitantes indesejados em minha porta, e, por uma quantia relativa à uma passagem para Rio Pardo, me vendeu um maravilhoso olho-mágico.

Hoje o instalei aqui na porta de minha casa. Olhei por ele algumas vezes e não vi nada demais, além da paisagem que habitualmente vejo quando abro a porta. Constatei que talvez esse olho-mágico esteja estragado.
Ah! Aquele maldito atendente…

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.