¿dequejeito?

O engano

Postado em 21 de novembro de 2007

Enquanto isso, numa terça-feira à tarde, no balcão de vendas da Mecânica TWA, o telefone toca. Ancelmo, que havia chegado atrasado naquela manhã, não estava nos seus melhores dias. Mesmo assim atendeu o telefone com simpatia.

— Alô, Mecânica TWA. Boa tarde.
— (…)
— Alô?
— (…)
— Alô? Quem é? Em que posso ajudá-lo?
— (…)
— Meu amigo, eu tenho mais o que fazer.
— (…)
— Alô?
— (…)
— O que você quer, caralho?
— (…)
— Isso é um trote?
— (…)
— Deve ser, né. E eu sou o babaca que fica falando merda sozinho.
— (…)
— E é por isso que eu nunca tive sequer um reajuste salarial.
— (…)
— Alô? Você está ainda aí?
— (…)
— Amigo, não faça isso.
— (…)
— Aqui é uma empresa de família.
— (…)
— Alô?
— (…)
— O senhor pensa que ligou pra casa da mãe Joana, meu amigo?
— (…)
— Favor respeito. Isso aqui é uma sorveteria com mais de…
— OPA!!!
— Alô?
— Tem de creme?

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.