¿dequejeito?

Castor É Castor

Postado em 26 de maio de 2006

Hoje eu e minha mãe fomos até a loja Colombo comprar um colchão novo para ela, pois o dela já tem seus quase 30 anos de vida. E eu nem sei porque fui junto, mas fui. Mal entramos na loja e o vendedor todo afoito foi logo chegando junto e oferecendo o colchão mais caro de toda a loja.

— Minha senhora. Temos esses mais baratos…
— Hum…
— E temos o colchão Castor. E a senhora sabe, né.
— Sei o que?
— Castor.
— O que tem?
— Castor, minha senhora.
— Sim?
— Castor É Castor, né.
— Ah.

Minha mãe, sem demonstrar nenhuma tendência à comprar o colchão mais caro, virou-se para o lado e apontou para um colchão que custava cerca de 350 reais a menos do que o tal colchão Castor. Então, antes que minha mãe pudesse falar qualquer coisa, o vendedor retomou a conversa.

— Minha senhora. A senhora tem geladeira, né?
— Sim, porque?
— Ela é Brastemp, creio eu.
— Sim, e daí?
— Minha senhora. Brastemp É Brastemp.
— E?
— Minha senhora, atente…
— Hã?
— Castor É Castor.
— Hum…
— Pois é, minha senhora.

Nisso rolou alguns segundos de silêncio.
Minha mãe parou um pouco e pareceu pensar na vida. Alguns segundos depois virou-se para o vendedor e disse:

— É. Castor É Castor.
— Sim, minha senhora. Castor É Castor.

Bom, amanhã pela manhã vão entregar aqui em casa um colchão. E, só para informar: Sim, é Castor.

  • Comentários desativados em Castor É Castor

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.