¿dequejeito?

Absurdo

Postado em 15 de março de 2006

Porra, alguém aí sabia que pra se unir matrimonialmente no Rio de Janeiro você tem de desembolsar uma quantia de R$ 300,00 assim, só pros caras do cartório emitirem uns poucos documentos sem sentido? Aqui no sul, de acordo com um conhecido meu, o preço ficava em torno de R$ 60,00 (isso há dois anos). Mesmo podendo ter ocorrido alguma inflação, o preço é monstruosamente menor.

E se você provar que é pobre pode se casar de graça. Depois ainda pode usar o atestado de pobreza pra passar em pedágios sem pagar. Não sei se isso é verdade, mas foi o que eu ouvi dizer por aí. Mas voltando ao assunto inicial, essa coisa de casar na igreja dá um puta arrombo no bolso do indivíduo. A própria igreja já deve meter a faca só pro padre falar umas poucas besteiras. Eu tenho um tio que é bispo, em Criciuma: Dom Paulo De Conto. Na família é sempre ele que reza as missas de casamento, e mesmo assim a igreja católica ainda cobra várias taxas, como se você estivesse alugando um padre na locadora.

— Amor, eu não gostei desse não.
— Ah, querida. Quem sabe um mais comédia?
— Não.. O padre tem que ser de ação.
— Olha ali o padre Ivo. Ele é careca, tipo o Bruce Willys.
— Gostei, mas tá escrito na capa que é só o trailer.
— Só o trailer?
— É, o trailer. Lê aqui.

(…)

— Thriller, amor. Thriller.

E olha que eu nem cheguei nos tramites da decoração da igreja, roupas, festa, coquetel, fotografos, filmadores, bolo, etc… Nego gasta a maior grana só pra fazer bonito na frente dos outros. É o casamento.

Aliás, é o casamento. Essa instituição familiar falida que acontece com as pessoas. Você trabalha o dia inteiro e quando chega em casa só quer saber de descanso, uma torrada só de queijo, um pouco do seu banjo e, depois, ver o Lost na televisão. Mas daí tem a outra pessoa, que insiste em vir com assuntos randonômicos quaisquer, lhe interrompendo no seu momento “eu – comigo mesmo”. E você nem presta atenção no que ela te disse, e acaba que sempre responde um “sim”, sem nem saber qual era a pergunta, pois o Lost tava foda naquele dia, e… Bem… Eu vou casar. =~

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.