¿dequejeito?

51 53 20 41 0 17 73 18

Postado em 22 de março de 2006

Há algum tempo ocorreu uma história triste e confusa comigo, e por isso achei melhor não escrever sobre o acontecido aqui no blog. Sabe como é, tem sempre um pessoal que acha que tudo que eu escrevo é mentira. E eu não ia gostar se alguém falasse que eu inventei essa história, até por que envolve uma morte.

Mas hoje decidi lhes relatar o fato.
Em novembro de 2004 estava eu, caminhando pelas ruas de Carazinho – RS, quando avistei uma bolinha de borracha, quicando. Resolvi seguir esta bolinha e acabei por chegar no sul do estado de Santa Catarina. Lá eu conheci um velho agricultor que morava numa casinha, sozinho, no meio do mato, longe de tudo. Foi um rápido encontro que marcou a minha vida. Estava eu seguindo a bólinha há dias, quando que ela, quicando, atravessou uma plantação de milho e entrou na tal casinha do agricultor, pela única janela que existia.

Me aproximando, vi que a bola havia acertado em cheio a cabeça do pobre agricultor que naquele momento estava ali, agonizando, caído no chão com a cabeça toda aberta. Entrei na casa e estanquei o sangue com um pano de prato. O senhor me agradeceu e começou a falar sobre coisas aleatórias, que pessoas à beira da morte costumam falar.

Este senhor, cabelos compridos, barba não aparada, óculos antigos e vestes mais antigas ainda, parecia de certa forma com o John Lennon, e me disse que se chamava João. Ele gaguejava muito e mal tinha forças para falar o seu português com sotaque acentuado, devido a pancada que recem tinha levado. Mesmo assim me pediu que anotasse uma sequência numérica.

51 53 20 41 0 17 73 18

Anotei, só para cumprir o desejo do velho. Depois disso ele disse que as estrelas eram lindas e veio a falecer, nos meus braços. Estranhamente ainda era dia e não aparecia nenhum estrela no céu. Então pensei que o velho era meio maluco e decidi esquecer o episódio.

Então dia desses eu tava assistindo o seriado Lost e vi que tem altos mistérios por causas de uma sequência numérica e que os personagens achavam se tratar de dados de latitude e longitude. E aí que me caiu a ficha.

Eu passei anos pensando que o velho havia me dado os números de um solo de violão. Achava estranho que o solo era feio pra cacete, mas continuava eu tocando ele, pelo o que ele significava. Mas não, os números eram na verdade latitude e longitude. Então corri pro Google Maps e digitei as coordenadas.

E o que foi que eu achei?
Achei a famosa faixa de pedestres da Abbey Road. Capa do álbum de mesmo nome dos Beatles… E, profundamente decepcionado, desliguei tudo e fui dormir.

E eu achando que ia levar uma grana fácil com esses números.
Lamentável.

  • Comentários desativados em 51 53 20 41 0 17 73 18

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.