¿dequejeito?

XVI. ACORDEI DE PAU DURO

Postado em 23 de abril de 2005

Mulheres, pulem esse post. Ou n?o, sei l?. S? n?o reclamem depois.

J? ouviram falar de um mal chamado impot?ncia? J?, n?. Pois eu estou sofrendo do oposto. Isso mesmo, sofrendo.

Acordei hoje por volta das 7 da manh? e ele j? estava de p?. Tomei banho, me arrumei e fiz o desjejum. S? ent?o percebi que ele estava demorando muito pra, digamos, relaxar. Como n?o h? realmente nada que se possa fazer com rela??o a isso, resolvi deixar pra l? – uma hora ia ter que descer.

Mas n?o desceu.

A situa??o come?a a ficar complicada depois de umas duas horas. N?o existe mais posi??o confort?vel e a cueca parece um cinto de castidade. Quando come?ou a doer, fiquei preocupado com a possibilidade de grangrena, mas vi que estava exagerando. A ordem do dia ? relaxar.

Pr?ximo inconveniente: Sair na rua.

Sim, eu tinha aula de dire??o marcada para as 10 – j? eram 9:30 e nada. Coloquei uma bermuda cargo e uma camisa grande, larga. Para um palha?o, s? faltavam os suspens?rios, mas sa? tranquilo. S? dei azar de fazer boa parte do caminho contra o vento, mas nada demais.

A dor ainda est? constante, mas bem fraca. Eu acho que podia ser tens?o, estresse por causa da expectativa da aula, ent?o espero que tudo volte ? normalidade.

Se isso n?o acontecer em uma hora, tenho medo do que a falta de oxigena??o no c?rebro pode acarretar.

  • Comentários desativados em XVI. ACORDEI DE PAU DURO

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.