¿dequejeito?

Duzentos. 29 de Julho – Parte II

Postado em 25 de abril de 2005

O corpo administrativo de uma micro-empresa em desenvolvimento fazia uma reuni?o de planejamento. Domingo ? noite, ventava e fazia frio depois de muita chuva. Todos, enfastiados, ouviam o diretor discursar sobre o relacionamento que deveria existir entre a empresa, clientes e fornecedores.

Enquanto isso, Miguel disfar?ava um fone de ouvido. O fio corria por dentro de sua camisa, indo para o walkman que tinha em sua pasta. Uma m?o estrategicamente apoiada no queixo encobria o que sobrava do fio: estava acompanhando pelo r?dio a partida entre Col?mbia e Paraguai.

Gustavo, o diretor, j? parecia estar chegando ao fim do serm?o, ent?o Miguel come?ou a balan?ar afirmativamente a cabe?a, para refor?ar o que quer que ele estivesse dizendo. Era uma pergunta:

— Algu?m gostaria de acrescentar algo, para que terminemos logo a reuni?o?

Todos os presentes fuzilaram Miguel com olhares. Um pouco confuso, percebendo que n?o havia feito algo bom mas sem saber exatamente o qu?, Miguel perguntou:

— oi

Gustavo, j? impaciente, respondeu:

— Eu j? estava terminando a reuni?o quando perguntei se algu?m queria dizer mais alguma coisa. Voc? disse que sim, o que ??

Miguel se sentia encolher. Era novo na idade e na empresa; na ?nica empresa que o aturava j? h? mais de seis meses. A firma tamb?m era jovem, e ele pretendia amadurecer e ganhar a vida com ela, n?o podia p?r tudo a perder. Talvez sentindo todo esse peso, Miguel disse:

— Sim, eu tenho algo a dizer. Muito, inclusive. — Alguns na sala suspiraram. — Eu j? passei por grandes empresas e multinacionais, mas devo dizer que nenhuma delas significou mais pra mim do que essa que o senhor, “Seu” Gustavo, dirige t?o bem.

Maria, esposa de Gustavo e vice-diretora, revirou os olhos. Miguel continuou.

— ? verdade. Tenho orgulho de me referir ao meu local de trabalho como minha casa. E por que eu digo isso? Porque aqui encontrei mais do que apenas companheiros de escrit?rio. Aqui eu encontrei amizade, carinho, compreens?o. Amor. Eu encontrei um irm?o, um pai, uma m?e e um av?. E tamb?m…

— Miguel, chega. — Gustavo interrompeu — Deixa de enrola??o e diz quanto ? que t? o jogo.

Miguel ficou pasmo mas levou a farsa em frente.

— Jogo? que jogo?
— Esse que voc? ouviu a reuni?o toda. Col?mbia e Paraguai. Diz logo pra gente ir embora.

Desmascarado, resolveu desistir e enfrentar as consequ?ncias.

— 1 a 0 Col?mbia. Gol de Cordoba.
— Cordoba? Ele n?o ? o goleiro?

  • Comentários desativados em Duzentos. 29 de Julho – Parte II

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.