¿dequejeito?

Dia 12 de junho

Postado em 12 de junho de 2005

Feliz dia do Correio Aéreo Nacional

  • Comentários desativados em Dia 12 de junho

O que não dar para a namorada II

Postado em 11 de junho de 2005

Ao percorrer o mundo fazendo minhas palestras e vendendo meus livros, sou abordado por transeuntes que me fazem a pergunta: “O que não devo dar para a minha namorada no dia dos namorados?”. Entre todas as grandes dúvidas da humanidade, talvez, a mais bonita seja essa. Pois vou lhes dizer oque você não deve, de maneira alguma, dar de presente para sua amada neste dia tão especial.

Uma Toalha

Convenhamos.
Uma toalha não combina com a sua namorada.

  • Comentários desativados em O que não dar para a namorada II

O que não dar para a namorada

Postado em 10 de junho de 2005

Ao percorrer o mundo fazendo minhas palestras e vendendo meus livros, sou abordado por transeuntes que me fazem a pergunta: “O que não devo dar para a minha namorada no dia dos namorados?”. Entre todas as grandes dúvidas da humanidade, talvez, a mais bonita seja essa. Pois vou lhes dizer oque você não deve, de maneira alguma, dar de presente para sua amada neste dia tão especial.

Um Estilete

Convenhamos.
Um estilete não combina com a sua namorada.

  • Comentários desativados em O que não dar para a namorada

A maravilhosa relação às avessas

Postado em

— Amor?
— Fala, querida.
— O que eu vou ganhar no dia dos namorados?
— É surpresinhaaaa.
— Como assim surpresa, porra?
— Ein?
— Tem que ser algo comum.
— Mas eu…
— Você sempre me surpreende com os presentes.
— É que…
— E eu odeio isso.
— Mas…
— Porque você não pode ser como os outros namorados?
— Querida, eu…
— Sempre me dando coisas diferentes, inusitadas.
— (…)
— Tudo que eu queria era sempre receber flores.

  • Comentários desativados em A maravilhosa relação às avessas

Alegria Alegria

Postado em

Hoje é sexta-feira, e a praia e o sol e os mano e o milho verde, Raul, Betânia, Gil, Gal, todo esse pessoal, os martires do Rock’n Roll. Dia de tomá uma ceva e carbura unzito. Ó os cops aí, os cops. Aê.

  • Comentários desativados em Alegria Alegria

COPS

Postado em 9 de junho de 2005

Acordei as 19:30 e lembrei que tinha que ir devolver um DVD que havia alugado no dia anterior. E, cacete, a locadora fecha as 20:00 e fica lá perto do hospital, ou seja, muito longe da minha casa. Eu jamais iria conseguir chegar na locadora em tempo de devolver o filme, e teria que pagar duas diárias pela locação. Duas diárias é um preço absurdo. Algo como dez reais que eu não disponho.

Me vesti, peguei minha bolsa, saquei o DVD pra dentro e saí correndo de casa. Mas correndo mesmo, de verdade, como se a minha vida financeira dependesse disso. Enquanto corria eu pensava em quão glorioso seria Deus se ele fizesse algum conhecido meu passar de carro ali e me dar carona. Mas Deus é cruel e não fez nada.

Só restavam dez minutos para locadora fechar e eu nem na metade do caminho estava. Então o bondoso Deus, usando de seu cinismo, fez com que lá longe apontasse uma viatura policial, piscando loucamente sua sirene.

A viatura se aproximava e eu pensava “Tenha uma idéia, moskito. Não desperdice essa carona“. Quando a viatura estava a uns 100 metros de mim, não pensei duas vezes e me joguei no chão, no meio da rua e comecei a me sacudir.

A sirene apagou e o carro começou a desacelerar. Parou do meu lado e um policial, um pouco nervoso, perguntou:

— Tá tudo bem, moleque?
— (…)
— Tá tudo certo com você?
— (…)
— Porque você tá se contorcendo todo?

O policial saiu do carro, olhou pra mim e gritou pro outro tira que estava no volante da viatura: “Me ajuda aqui, Cotonete. O guri tá tendo um ataque epilético“.

Os dois me ajuntaram do chão e me jogaram no banco de trás do carro. Ligaram as sirenes e em pouco menos de três minutinhos eu já estava no Hospital de Caridade de Carazinho. Os policiais me jogaram numa maca e disseram pro enfermeiro da recepção: “Achamos esse tremilicando na rua. Deve ser entorpecentes” e foram embora. O enfermeiro saiu correndo pra chamar algum médico plantonista e aproveitei esse meio tempo pra sair de fino e ir entregar o DVD.

Do hospital até a locadora é um passo. Cheguei lá às 19:57 e devolvi o DVD. Amanhã eu conto o resumo do filme pra vocês.

  • Comentários desativados em COPS

cada vez pior e avante

Postado em

Tá cada vez mais foda de manter esse blog. Além de não ter mais dinheiro pra manter o servidor, agora eu fui descoberto pela cidade. Não posso mais escrever sobre o pedro (o cabeleireiro) pois ele anda lendo o blog. Não posso mais contar mentiras sobre a cidade pois sempre aparece alguém que me conhece pessoalmente pra desmentir. E, se não bastasse, eu postei a aquela foto da minha mãe pintando a madeirinha vermelha e no mesmo dia uma tia minha ligou pra ca pra rir da cara da minha mãe.

Imagina se eu invento de postar um “alegria alegria” na sexta-feira. To fodido na baia. Consegui chegar num outro nível mainstream. Vou voltar pro underground. Abrir um blog novo em algum canto e escrever de mentira de novo, pois não to me garantindo escrevendo só verdades e textos sem maldades. O dequejeito fica pra titio.

  • Comentários desativados em cada vez pior e avante

Tem gente que não tem vida

Postado em

— Caraleo!
— Que foi?
— Aumentei UM CORAÇÃO hoje, no Orkut.
— E?
— To mais foda que o moskito! o/

  • Comentários desativados em Tem gente que não tem vida

A maravilhosa relação às avessas

Postado em

— Quero dar um tempo.
— Tempo? Pra que?
— Cansei de fazer toda noite uma coisa diferente.
— Eu pensei que vo…
— É muita emoção na minha vida.
— Mas eu…
— Você sempre me surpreende de formas diferentes.
— Eu não…
— É todo dia uma aventura nova na nossa relação.
— É que…
— Precisamos sair com pessoas iguais.
— Mas, queri…
— Adeus.

  • Comentários desativados em A maravilhosa relação às avessas

Coluninha de cineminha

Postado em 7 de junho de 2005

Constantine
Keanu é John Constantine, um exorcista que tem cancer no pulmão e, por isso, vai morrer em um ano. Quando era adolescente, John tentou suícidio. John sabe que todas as pessoas que tentam suícidio vão para o inferno.
Então ele fica muito puto com Deus, pois ele trabalha pro divino, tirando os demônios dos corpos das pessoas e nem assim consegue garantir um lugar no céu.
Lá pelas tantas John descobre que o filho do capeta está tentando invadir o “mundo real”, quebrando assim o trato que Deus e Diabo tinham feito de não invadirem a terra e deixarem os mortais viverem em paz.

O filho do diabo é underground e precisa do corpo de uma mina pra poder completar a passagem e, com a ajuda do anjo Gabriel (que traiu Deus e virou do mal) tenta matar uma policial gostosa que tá tentando dar pro John. Então no final do filme o John comete suícidio, sabendo que vai pro inferno. E o diabo papai vai buscar ele pra levar pro subsolo terreno. Então o John fala pro Papai Diabo que o seu filhinho ta descumprindo o trato com Deus. O Diabão fica sangue nozóio e detona todo mundo.
O John, por abrir os olhos do diabo tem direito a um pedido e ele pede uma coisa “oun” lá que não tem nada a ver com ele. Então Deus dá uma chance pro John e faz ele ir pro céu, mas o Diabão não gosta disso e decide deixar John ressucitar, sem cancer. E o filme acaba com todo mundo vivo e feliz.

Lição que podemos tirar com o filme:
Beba, fume, tenha cancer, seja uma besta e o diabo te ajudará.

  • Comentários desativados em Coluninha de cineminha


Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.