¿dequejeito?

110655868988785007

Postado em 24 de janeiro de 2005

Chegou a mim uma resenha sobre o ¿dequejeito? escrita no caderno de variedades de um jornal por aí. O colunista me chamou de ‘egocêntrico, sem graça e com problemas psicológicos de multiplas personalidades’. Ahrá!

  • Comentários desativados em 110655868988785007

O Caso Clodovil

Postado em 22 de janeiro de 2005

Mais do que qualquer perigo imposto pelo Iraque aos Estados Unidos ou frescurinhas do Pelé, o assunto da semana passada foi a demissão do apresentador Clodovil da maldita Rede Tv, aquele canalzinho de merda.

Novamente podemos ver aquela típica situação besta onde alguém sincero e humilde ajuda os outros e os outros passam a perna neste alguém. Pois não é que Clodovil montou toda uma estrutura para o programa “A Casa é Sua”, lançou o pessoal para a fama, criou-lhes com afeto. E agora que ele foi demitido, é esse mesmo pessoal que briga por sua vaga no programa.

Vejamos a seguir os traíras mais nojentos da televisão brasileira.

Chef Luiz, o cozinheiro falcatrua
Porra, o nome do cara é Luiz. Isso lá é nome de chefe de cozinha? Bom, o Luizão até podia fazer umas gororobas legais mas não conseguia entender as piadas do Clodovil, que insistia em chamar ele de viadinho. Por causa do preconceito de seus amigos que o zoavam por ele ser o viadinho do Clô, Luiz pediu demissão. Mas agora já planeja sua grande volta ao programa, desta vez não como Chef, mas sim apresentador.

Ofrasia, a empregada
No começo ela até que era divertida. Mas ficou chata quando começou a receber instruções da produção do programa para fazer suas piadinhas superficiais. Nada que o Clodovil não pudesse resolver somente com palavras que podavam a atitude da empregadinha. Depois a popularidade começou a cair (ninguém consegue mais do que o Clodovil) e saiu da “A Casa é Sua”. Foi pedir emprego no SBT e recebeu um NÃO na cabeça. Agora o Clodovil se foi e ela voltou, com toda petulância do mundo.

Beto, o jardineiro bombado
Beto era o cara que atrapalhava o Clodovil enquanto ele fazia aqueles maravilhosos arranjos em flores. O cara não acertava nada e o Clodovil ainda tentava ajudar ele a pegar os macetes da floricultura vanguardista nacional. Um grande mal agradecido, pois foi só o Clodovil ser demitido da Rede Tv que, sem ao menos ter desenvoltura suficiente para ser figurante no seriado da Sandy Jr, o assistente de jardineiro tentou uma vaga de apresentador do programa “A Casa é Sua”.

Joana, a mina que lê e-mails
Mostrando para que realmente serve uma pessoa que estuda 4 anos numa faculdade de jornalismo, Joana Matushita ficava o tempo todo sentada na frente de um computador lendo e-mails que os fãs mandavam para o programa. Um belo dia o Clodovil começou a pagar pau para ela e assim nascia uma personalidade. O público passou a olhar para aquela pobre jornalista com outros olhares. Apesar de continuar somente lendo e-mails, ela parecia ser mais elegante, bonita, inteligente e profissional. Foi só o Clodovil ser demitido que ela já colocou as asinhas pra fora e foi se meter de apresentadora. Volta pro teu lugar, porra. Vai fazer jus ao teu diploma de Jornalismo e ficar lendo e-mails até a morte.

  • Comentários desativados em O Caso Clodovil

Cristo e o Cálice Sagrado.

Postado em 21 de janeiro de 2005

Tive outros sonhos daqueles tenebrosos em que eu não consigo captar a mensagem que o meu subconsciente quer me passar. É o segundo sonho do mesmo estilo na mesma semana. Preocupante.

Dessa vez eu tava num parque de diversões, brincando naquelas paradas em formato de xícara que deixam tonto. Bom, eu tava girando, girando, girando até que a xícara começou cada vez mais a girar mais rápido e sem sentido. Eu tava muito apavorado e me segurei firme. A xícara girou tão rápido que saiu do seu eixo, os parafusos e soltaram e ela saiu voando para o céu.

Eu tava alto no céu, dentro da xícara. Então no meu lado surgiu o Inri Cristo e começoua falar com aquele sotaque engraçado dele umas coisas que não davam para entender. E a xícara no céu, voando e girando e eu com muito medo. E o Inri Cristo no meu lado fazendo sinais de mão e dizendo palavras com sons estranhos.

Então a xícara começou a sofrer a ação da gravidade e descer, rumo ao chão. E eu cada vez com mais medo, olhando para o chão que se aproximava cada vez mais rápido. Quando o chão estava muito próximo eu olhei pro lado para pedir ajuda ao Inri Cristo. Nesse momento Inri Cristo desaparece como naqueles filmes trashs com efeitos classe B de câmera. No lugar de Inri aparece ele: Ronnie Von.

Ronnie Von, muito calmo, colocou a mão no meu ombro e disse:

“Enfim, em todo lugar uma canção a de ressoar anunciando na voz dos sinos que somos quase deuses divinos, que somos ternos e eternos, que somos Romeus e Julietas e que por séculos e planetas, sempre existiremos.”

E Depois desapareceu, tal qual o Inri Cristo, numa nuvem dourada de fumaça (tipo gelo seco) sem nem dar um tchauzinho mais amigável. Depois, ainda sem entender o porque de Ronnie Von aparecer para me dizer tais coisas, olhei para baixo e a xícara estava a poucos metros do chão.

No momento em que iria me estabacar no sólido chão do parque, acordei com meu próprio grito, que ecoou na casa inteira: Inriiiii… E voltei a dormir, sem entender nada, apavorado.
Alguém desvenda esse?

  • Comentários desativados em Cristo e o Cálice Sagrado.

Querido Diário

Postado em 19 de janeiro de 2005

Hoje eu pisei numa poça e sujei todo meu pé.
Lembrete: Não sair mais de sandálias.

  • Comentários desativados em Querido Diário

Jeito aviadado

Postado em 18 de janeiro de 2005

O Dicró deu uma das entrevistas mais legais que eu já vi na tv nessa semana.
Não sei qual era o canal (era um desses canais desconhecidos que rolam entre a Globo e a Amazon Sat). Aparecia Dicró, com pose de malandro e o caixão do Bezerra contrastando ao fundo da imagem. No lado de Dicró um mendigo cantando “Já armei meu tabuleiro, vendo pras qualquer pessoa”. Enquanto Dicró dava sua declaração sobre a vida musical de Bezerra.

“O Bezerra fazia música pra malandro, porque fazer música pra mulher é fácil. É só falar coisas de amor de um jeito meio aviadado que a mulherada compra o CD. Mas fazer o que né? Mulher é um bicho que se apaixona três vezes por dia…
… Pior é que o Moreira (da Silva) e o Bezerra já morreram. Acho que tenho que parar de beber e fumar logo, senão me fodo também.”

  • Comentários desativados em Jeito aviadado

Diário de Gravação

Postado em

Querido Diário, hoje é o primeiro dia de gravações do vocais dos Wilsos no estúdio. Os instrumentais estão todos prontos e só falta a minha bela voz para ilustrar este magnífico álbum musical.

Na verdade o primeiro dia foi ontem, mas eu tava bêbado demais para lembrar disso e acabei esquecendo que tinha hora marcada lá. Hoje fiquei acordado até as 7 da manhã bebendo, fumando e aprendendo um pouco sobre óvulos e ciclos menstruais. Como resultado acordei sem voz. Seja o que Deus quiser.
Vou pro estúdio.

  • Comentários desativados em Diário de Gravação

Bolinado por zumbis

Postado em 17 de janeiro de 2005

Hoje eu tive um sonho muito estranho e apavorante.
Eu tava numa espécie de parque, uma praça muito grande, com enormes arbustos que formavam um tipo de labirinto que dificultava a visão. E era de noite, frio e tudo muito escuro. Não sei o que tava fazendo lá, mas eu caminhava em direção de uma luz.

Ao chegar no foco da luz, notei tratar-se de um banheiro. Mas na frente da porta do banheiro existiam algumas pessoas estranhas. Pensei que eram mendigos mas ao me aproximar mais notei que eram todas pessoas deformadas e muito feias, do tipo que não se dariam bem no Fashion Week. A pele dessas pessoas parecia estar derretendo.

Como se fosse um “Resident Evil”, as pessoas derretendo começaram a correr atrás de mim e falar coisas amedrontadoras. Eu corri deles, mas tropecei e caí. Então eles me alcançaram e começaram a esfregar as mãos em mim, como se quisessem me passar a doença de pele deles.

A minha sorte é que um cara que estava na praça e, por coincidência, portava uma mangueira de bombeiro consigo, me ajudou e depois me deu um banho com a forte água. Com a pureza da água me curei da possível doença derretente que as pessoas feias tentaram me passar. Agradeci o cara da mangueira e continuei correndo, procurando por alguma saída daquela praça bizarra.

Enquanto, apavorado, eu procurava a saída, achava outras pessoas que também estavam tentando sair daquele lugar. Então encontrei uma mina que me disse que sabia onde ficava a saída. Fui com ela até o local prometido e, infelizmente, constatei que era mentira. Na verdade ela era uma pessoa deformada tentando me bolinar.

Bati na garota e fugi novamente, para longe dali.
Ainda perdido na praça achei uma espécie de recipiente alaranjado. Abri ele, cheirei, apreciei, e notei que se tratava de um pote de pomada Minancora. Encontrei com o cara da mangueira de bombeiro, que agora estava acompanhado de um cachorro, e lhe contei sobre a Minancora.

Colocamos o pote na saída de água da mangueira, apontamos ela para o céu, e ligamos com força total. A água jorrou até o mais alto possível e voltou como se fosse uma chuva. O poder da Minancora curou todas as pessoas que estavam deformadas e os arbustos macabros daquela praça morreram, dando lugar à uma lindo playground. No centro da praça se ergueu um grandioso busto de pedra polida de Santos Dummont.

Então eu acordei.
Se alguém souber o que significa esse sonho, pode postar nos comentários. Eu agradeço.

  • Comentários desativados em Bolinado por zumbis

110593051027978553

Postado em

moskito diz:
Você precisa assistir urgente o “Almost Famous”.

Não cita meu nome diz:
É a terceita vez que você fala isso.

moskito diz:
Cultura musical, pô.

Não cita meu nome diz:
Vou assistir amanhã então.

moskito diz:
Não tem como você não gostar.

Não cita meu nome diz:
Por que?

moskito diz:
Tem Elton John na trilha.

Não cita meu nome diz:
Nem sei se gosto desse cara.

moskito diz:
Todos amam ele.

Não cita meu nome diz:
Só conheço aquela que ele fez pro filho.

moskito diz:
Hahahahahahaaha

Não cita meu nome diz:
Que foi?

moskito diz:
ESSE É O ERIC CLAPTON.

  • Comentários desativados em 110593051027978553

Diálogo pré-tragédia da semana

Postado em 14 de janeiro de 2005

Toda semana é uma trágedia nova para alegrar a garotada. Diálogos sem graça e com muita maldade no coração. Se você conhece alguém que morreu numa dessas, não fique bravo. Não é nada pessoal.

Deslizamentos em São Bernardo
Deslizamentos de terra ocorridos na madrugada de quarta-feira em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo) causaram a morte de nove pessoas – sendo oito crianças.

— Vamos brincar de pic-esconde?
— Vamô!
— Então vou contar.
— Aha! Duvido você me encontrar aqui nesse lu…

*Deslizamento de terra*

— …Quarenta e nove, cinquenta. Lá vou eu.

  • Comentários desativados em Diálogo pré-tragédia da semana

Cinema por quem não entende nada de cinema

Postado em

O final de 2004 e começo de 2005 rendeu dezenas de filmes. Para ser mais exato, foram vinte um títulos dos mais variados estilos. Vou precisar de tempo até lembrar de tudo que eu assisti (a única coisa que lembro é que não vi nada do Tom Cruise). Mas vamos começar pelos filmes sem sentido.

SEGUNDAS INTENÇÕES 2

Eu já havia visto trechos deste filme no dia em que ele foi exibido na Globo. Mas sabe como é, tem cenas de sexo e a minha mãe tava na sala, então eu fico envergonhado de assistir certas coisas com ela junto (sim, ela ainda acha que eu sou virgem). Bom, mas oque interessa é que eu assisti o filme e vou contar a história dele. O primeiro da série é bom mas o número 2 é uma grande porcaria. Os autores voltaram no tempo e tentaram explicar como os personagens principais se conheceram. Bom, o Loirinho (esqueci o nome) mudou de cidade e foi morar com o seu pai, que era casado com uma ricassa. Então o Loirinho conhece sua Irmã (que também não lembro o nome por isso vou chamar de Irmã do Loirinho) e ela é muito malvada e quer impedir o loirinho nas suas tentativas sexuais pra cima da virgem da cidade. Depois de um monte de briga o Loirinho descobre que a virgem é uma lésbica e que até tem um caso com a Irmã do Loirinho. Então o Loirinho desencana de ser bonzinho e come as duas.
Cotação: Uma masturbação

SEGUNDAS INTENÇÕES 3

Esqueça o Loirinho e sua irmã lésbica. Na terceira parte da saga os personagens são outros. Tem o Carinha (não sei o nome) e a Gostosa (adivinha). O grupinho de playboys vai estudar numa escola para pessoas muito muito ricas em que rola várias safadezas. Então tem o cara Malvado (nem me pergunte o nome dele) e ele quer comer todo mundo. E o Carinha, a Gostosa e o Malvado fazem um jogo sexual entre si que acaba em muita putaria. Como ninguém estuda e todo mundo só quer trepar, o filme se torna chato. É um comendo outra. outra dando pra outro. O namorado de outra comendo um, etc, etc, etc…
Até que o Malvado tenta comer a Gostosa e ela dá pra ele na maior boa vontade. Mas como ela é esperta, acusa ele de estupro. O Malvado vai preso e você então descobre que a Gostosa e o Carinha também são malvados. Mais malvados que o próprio Malvado.
Cotação: Duas masturbações

  • Comentários desativados em Cinema por quem não entende nada de cinema


Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.