¿dequejeito?

Mais um detonado

Postado em 30 de agosto de 2004

Acabei de ler o segundo livro da série O Guia do Mochileiro das Galáxias de Douglas Adams, chamado O Restaurante no Fim do Universo. Vou tentar textualizar toda sensação que o livro transmite, com palavras curtas e resumidas, mesmo achando que é quase impossível passar para esta tela o prazer de ler tal obra cativante.

Bom, as 229 páginas que compõem o miolo do livro O Restaurante no Fim do Universo foram impressas em papel de alta performance Chamois Bulk 90g/m² Alcalino da Ripasa. A arte de capa foi ilustrada por Willian Medeiros. Ainda falando da capa, diferente do primeiro volume, esta capa teve um pequeno defeito. Mesmo sendo impressa com qualidade superior em papel fosco, o pessoal da RRDA – uma grande empresa gráfica mundial – não dosou bem a proporção de magenta no fótolito, deixando os tons, que deveriam ser azuis, da capa mais esverdeados e o que deveria ser amarelo ouro ficou parecendo um areia.

Claro que toda vez que se manda revelar um fotolito, o autor da arte gráfica tem que revisar tudo e assinar para evitar erros. Portanto o pessoal do fotolito nem deve ter tido que pedir desculpas pelo erro e sim o cara da arte gráfica, que não notou a grande merda que o pessoal do fotolito fez e acabou levando toda culpa.
Viva a legislação gráfica brasileira.

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.