¿dequejeito?

Futevolas

Postado em 28 de outubro de 2004

No momento que o Serginho caiu em campo eu estava comprando um cachorro quente numa desses carros que vendem lanches. Tinha uma TV em cima do teto e deu pra ver tudo. O narrador da Globo até tentou mas nem conseguiu narrar o gol do Corinthians contra o Criciúma, que aconteceu no mesmo momento em que o Serginho tava detonado em campo, levando respiração boca-a-boca e massagem cardiaca. Isso sim que é uma notícia bombástica: Nunca vi a Globo ser tão desinteressada num gol do timão.

Normalmente é a maior festa. O Corinthians pode estar perdendo de 243 a 0. Basta fazer um golzinho de honra que o narrador da Globo desenterra do dedão do pé o ar para gritar o golaço. É um dos únicos times que perde mas joga bem, sempre.

E ainda temos que conviver com a porra da mídia sensacionalista que aproveita qualquer tragédia para se fazer de santa. Depois de culpar o Morumbi inteiro pela morte do Serginho e dizer que os médicos não estavam preparados para atender o jogador, o Gilberto Barros (da Band) larga a seguinte pérola:

“… E inclusive o futebol força tanto o aparelho respiratório que deveria ter dois aparelhos de respiração.”

Despreparado é tu, ô animal. Vai fazer ibope com a morte da mãe, porra.
Pelo menos rolou uma notícia boa no futebol nacional. Dizia o site do terra: “Inter perde e coloca Grêmio na lanterna”. Genial.

Vai Serginho. :'(

  • Comentários desativados em Futevolas

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.