¿dequejeito?

Cinema por quem não entende nada de cinema

Postado em 26 de setembro de 2004

Final de semana de filmes legais. Novamente não aluguei nada que tenha Tom Cruise, muito menos o tão aguardado DogVille. Mesmo assim irei contar aqui a história completa (inclusive o final) dos filmes que eu assisti neste fim de semana muito louco de verão.

Corrente do Bem
Um professor novo e com a cara toda deformada chega na escola para ser o professor substituto de Estudos Sociais. A primeira tarefa dos aluninhos é desenvolver uma idéia que mude o mundo. O garotinho personagem principal decide fazer uma corrente de bondade. Ele ajuda três pessoas e essas três pessoas tem que ajudar mais três pessoas por si só, até que todo o mundo se ame. A corrente ganha proporções imensas e o garotinho fica famoso. Dentre suas bondades estão: tirar um visiado viciado do mundo das drogas e fazer o professor se apaixonar pela sua mãe. No final o garotinho vai fazer sua terceira bondade: defender seu colguinha que está apanhando de marginais. Infelizmente o garotinho leva uma faca e morre, mas sua corrente continua viva. Grande merda, pois ele morre.

Escola de Rock
Jack Black, um roqueiro sem noção, faz-se passar por outra pessoa e começa a dar aulas numa escola particular. Como ele não manja de nada, decide ensinar música pra garotada, e assim forma uma banda de crianças de dez anos. Eles vão, escondidos da diretora da escola, participar de uma batalha de bandas. Mas um dia antes da final da batalha, os pais descobrem a falsidade ideológica de Jack Black e os seus planos de ganhar milhares de dolares com o rock vai por água abaixo. Mas as crianças são espertas e o filme é da Disney (onde qualquer milagre pode acontecer) e elas vão fazer o show escondidas dos pais. Tocam bem mas como em qualquer filme assim, não ganham a batalha de bandas. Mesmo assim a platéia grita pela infate banda mirim que volta ao palco e faz um bis.

  • Comentários desativados em Cinema por quem não entende nada de cinema

Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.

Arquivos

Coisas do tempo em que o autor não sabia escrever.