¿dequejeito?

Saca só, !

Postado em 23 de junho de 2004

Parece que, com o novo sisteminha de comentários, o script do nome finalmente está funcionando 100%. Mais um frufru que o ¿dequejeito? conquista para confundir ainda mais a sua cabeça.

  • Comentários desativados em Saca só, !

108792191173379377

Postado em 22 de junho de 2004

Eu apareci no mauzin /
  • Comentários desativados em 108792191173379377

Homenagem

Postado em

Em homenagem ao senhor Leonel Brizola, honorável cidadão quase carazinhense, este blog teve sua janela de comentários reformulada. Agora tá mais rápido, tá mais bonito, tá mais delícia, tá mais fuinha. Viva a nova janela de comentários e toda vida colorida que ela transmite.

  • Comentários desativados em Homenagem

108782305697065638

Postado em 21 de junho de 2004

Papel de parede ¿dequejeito?

Está aí um papel de parede fuinha legal para alegrar vossas pacatas vidas. Pra quem gosta de carrões rebaixados, rodas cromodas, som bombando, gatas de mini-saia, velocidade e torresmo.

  • Comentários desativados em 108782305697065638

1 – Marque a alternativa correta:

Postado em

O que Gabriel Von Doscht, ator e rapper, ganhou de presente no dia dos namorados do ano de 2004?

(  ) O DVD Curtindo a Vida Adoidado
(  ) O DVD Zoolander
(  ) A melhor namorada do mundo
(X) Toda as alternativas anteriores

  • Comentários desativados em 1 – Marque a alternativa correta:

108769601963996766

Postado em 19 de junho de 2004

le loco (22:20) :
e ai rapa tudo em sima!!!!!

moskito (22:22) :
tudow em sima

le loco (22:23) :
pode kre! anda de skate?

moskito (22:23) :
ando

le loco (22:24) :
a onde?

moskito (22:25) :
em varios lugares

le loco (22:26) :
como a onde?me diga um?

moskito (22:26) :
na rua

le loco (22:26) :
que rua?

moskito (22:27) :
Na Pátria, junto com Cueca, Cabelo, Babão e todo esse pessoal hippie do skate

le loco (22:28) :
tem um truck pa brique?

moskito (22:29) :
tenhow non. Só tabua.

le loco (22:31) :
que marca?

moskito (22:32) :
Diablo. É uma marca gringa.

le loco (22:32) :
qual o nome?

moskito (22:33) :
É “its a lie, bastard!”

le loco (22:33) :
é jogo ou skate?

moskito (22:37) :
Marca de tábua. Feita com madeira wood. Comprei na Semana Week de Skate de São Paulo. Ela tá nova.

le loco (22:38) :
Não conheço nem a marca nem você.

moskito (22:43) :
Então como sabe que eu ando de skate?

le loco (22:44) :
eu não sei. eu perguntei porque eu quero trocar meu truck!!!!!!!!!

  • Comentários desativados em 108769601963996766

Porque as sinopses de filmes são tão complicadas?

Postado em

É quase impossível entender a história de um filme lendo sua sinopse na contra-capa da fita ou DVD. Você pode até tentar prestar atenção e ignorar o que não tem nada a ver com o filme, mas as pessoas que escrevem sinopses são pagas para embaralhar a mente confusa dos alugadores de vídeos.

Dr. Josh Keyes (Aaron Eckhart, Erin Brockovich – Uma mulher de Talento) e Aaron Skiller (John Malkovich, Quero ser John Malkovich, O talentoso Ripley) dispuatam o amor de Catherine (Alfre Woodard, indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 1983, por Retratos de Uma Realidade). Dirigido por Hilary Swank (Meninos não Choram, vencedora do Oscar de Melhor Atriz em 1999) esta comédia romântica encantará sua vida.

Olha só que terrível. São tantas referências que a verdadeira sinopse do filme acaba que deixada de lado. Tudo que sabemos sobre o filme até agora é que é uma comédia romântica. Mas afinal, que filme que não é uma comédia romântica?
Até em Jamaica abaixo de Zero (Cool Runnings, 1993 – Jon Turteltaub) existia uma pitada de romance em meio à comédia.

  • Comentários desativados em Porque as sinopses de filmes são tão complicadas?

108755573411546159

Postado em 18 de junho de 2004
Alegria Alegria

Hoje é sexta-feira. Dia de tomá uma ceva, fumá unzito e dançar loucamente igual ao Renato Russo. Simbora macacada.

  • Comentários desativados em 108755573411546159

Porque ninguém fez isso ainda?

Postado em 17 de junho de 2004

Até o presente momento não vi ninguém malhar a nova música do IRA.

“Você é meu sol. Ummetroesessentaecinco de sol,
Como eu sou um girassol, você é meu sol”

Porra! Quando eu fiz aquela famosa letra que tinha: “Eu quero encostar meu pé gelado em você e ganhar o seu calor” o pessoal critico cult de música me cobriu de xingamentos. Agora neguinho bate palma só porque a banda é mais famosa.

  • Comentários desativados em Porque ninguém fez isso ainda?

Um corte de cabelo muito louco de verão

Postado em

Após constatar que os mullets já não estão mais na moda e que essa coceira na nuca é causada pelo meu cabelo, hoje fui desprovido de coragem até o cabeleireiro para… adivinhem… cortar meu cabelo, lógico, né?!
Eu corto meu cabelo com o Pedro há mais de 15 anos e, talvez, a única coisa que me deixe um pouco neurótico com ele é o fato dele não ser gay.

Começando pelo salão do Pedro.
Você entra lá e tem umas cadeirinhas de espera. O ambiente é comum, nenhuma coisa estravagante como um quadro de uma modelo nua com um penteado despenteado, ou um chafariz em formato de golfinhos no centro do salão. Nada.
Apenas um grande cômodo branco, com uma samambaia maltratada lá no canto e uma mesinha com algumas revistas ali no outro.

É claro que, como sempre, eu já sabia como seria meu corte: Sempre corto uns quatro dedos de tudo e atrás corta um pouco mais, desbastando um pouco. De modo que ainda cubra minha orelha e não fique tão curto. Mas sempre dou folhadas em revistas para ver se não tem nada de novo no mundo fashion da moda capilar. Eis que na mesinha do salão do Pedro, por ele ser muito macho, não existem tais revistas com cortes extravagantes, mas sim um apanhado de revistas Galileu e uma coleção quase completa de Super Interessante.

Folhei um pouco e logo vi que nunca acharia um cabelo legal que servisse de exemplo para ilustrar o que eu queria. Resolvi esperar ali mesmo, olhando pra samambaia e imaginando o que se passava na cabeça das sete pessoas que estavam na minha frente na fila.
Porém, mal deu tempo de pensar nisso. As sete pessoas foram atendidas e tiveram seus cabelos cortados em pouco menos de 10 minutos. Você até pode pensar que é um novo recorde de corte de cabelo, mas a explicação é simples: Nestes 10 minutos o Pedro nem desligou o botão “power” da máquina de raspar. Foi só chamando o pessoal e raspando, chamando e raspando, chamando e raspando. Estilo puro.
Nem no quartel as coisas funcionam tão bem.

Chegada a minha vez, ele viu a complexidade da minha juba e pediu que eu fosse até ali no lado para lavar o cabelo.
Como o salão do Pedro é deveras macho, ele contratou um cara fortão pra lavar os cabelos dos clientes. O cara devia ser pedreiro no passado, pois lavou meu cabelo de forma tão sutil que até agora desconfio que minha orelha foi parar no lugar da testa.

Depois de lavado o cabelo, o Pedro, que me conhece há mais de 15 anos, veio com o seu papo de sempre:

— Rafael, quanto tempo!
— Gabriel..
— Oi?
— Gabriel é meu nome.
— Ah! Sim. Pois bem Rafael, como vai ser dessa vez?
— Sei lá, Pedro. Tava pensando em fazer algo mais tenebroso
— Como?
— Sei lá! Tipo, fecha o olho e corta.

O problema de um cabeleireiro macho é que ele nunca faz esse tipo de coisa fashion. Ele passa as tardes de sua vida raspando cabeças no mais puro estilo Ronaldinho e não tem tempo para pensar nas viadagens de cortar cabelos de forma artística. Se fosse um gay, ele nem pediria minha opinião. Apenas mandaria eu sentar na cadeira e começaria a cortar de forma louca e ardorosa. Depois me cobraria 30 reais pelo corte e eu iria pra casa com um cabelo estiloso.

— Ah, Pedro! desencana.
— Como vai ser então?
— Tipo: Corta uns 4 dedos de tudo e atrás corta um pouco mais, desbastando um pouco. De nodo que ainda cubra minha orelha e não fique tão curto.
— Tipo channel?
— Não! Deixa que eu explico melhor.
— Explica…
— Corta uns 4 dedos de tudo e atrás corta um pouco mais, desbastando um pouco. De nodo que ainda cubra minha orelha e não fique tão curto.
— Hum… Entendi.

E lá vai Pedro cortar meu cabelo, da mesma forma que ele corta há mais de 15 anos. Depois eu pago os R$ 5,00 e vou embora pra casa com meu novo cabelo velho de sempre.

— Até mais, Rafael.
— Valeo pedro. Obrigadão. Cuida daquela samambaia ali ó.
— Que samambaia?
— Aquela ali que já ta seca no canto.
— Ué!? Pensei que fosse de plástico.

Ai ai, esses cabeleireiros. Cada vez mais machos.

  • Comentários desativados em Um corte de cabelo muito louco de verão


Este é o blog de Gabriel Von Doscht, um rico empresário que largou tudo para se dedicar ao seu verdadeiro dom: fazer pulseirinhas.